Sicredi Pantanal MS neutraliza emissões de Gases de Efeito Estufa

A cooperativa Sicredi Pantanal MS, com Sede localizada em Maracaju, neutralizou mais de 220,71 toneladas de Gases de Efeito Estufa (GEE) emitidas em 2019. A medida integra a iniciativa nacional do Sicredi de apoiar o Projeto REDD+ Jari Pará, voltado para a geração de créditos de carbono de conservação florestal na Amazônia para neutralizar o total de 35.793 toneladas de GEE emitidos no ano passado pela instituição financeira cooperativa.

Realizada com o apoio da Biofílica, empresa focada em conservação florestal, esta é a primeira iniciativa do Sicredi com foco em neutralização de GEE em nível nacional e visa aprimorar as práticas sustentáveis de suas 108 cooperativas de crédito, localizadas em 23 estados brasileiros e Distrito Federal.

“Desde o ano de 2015 a Sicredi Pantanal MS faz o controle da emissão de Gases do Efeito Estufa. Em 2016, fomos a primeira cooperativa da nossa Central a receber o selo de Empresa Amiga da Natureza, pelo EcoFinance. Ver todo o sistema Sicredi se mobilizando nesse sentido é muito gratificante, pois reforça que nosso compromisso com a humanidade vai além dos serviços financeiros que oferecemos.”, declarou Emerson Perosa, presidente da Cooperativa.

O Projeto REDD+ Jari Pará (Projeto de Redução de Emissões provenientes de Desmatamento e Degradação Florestal somado a conservação dos estoques de carbono florestal, manejo sustentável de florestas e aumento dos estoques de carbono florestal) tem como objetivo evitar o desmatamento e minimizar impactos socioambientais, promovendo benefícios para o clima, biodiversidade e comunidades da região do município de Almeirim, no estado do Pará. A região abriga famílias rurais e possui um corredor ecológico, tendo em seu entorno diversas Unidades de Conservação com rica biodiversidade e formações vegetais distintas.

A iniciativa combina atividades de manejo florestal com comercialização de créditos de carbono que são gerados a partir de metodologias internacionalmente reconhecidas, a fim de evitar o desmatamento e minimizar impactos ambientais. Desta forma, ela contribui para a conservação de 496 mil hectares de Floresta Amazônica nativa e de sua biodiversidade, promovendo o desenvolvimento socioeconômico local.

Em 2019, o Sicredi construiu e divulgou seu segundo Inventário Sistêmico de Emissões de GEE, contendo informações sobre as emissões de todas as cooperativas de crédito integrantes da instituição. O documento, publicado junto ao Programa Brasileiro GHG Protocol, fornece subsídios para criação de estratégias com foco em reduzir emissões de Gases de Efeito Estufa, como utilização de energia renovável e redução de consumo de recursos naturais, por exemplo.

Segundo Olaf Brugman, superintendente de Sustentabilidade do Sicredi, o projeto de neutralização de emissões de GEE em nível nacional representa um avanço importante na estratégia de sustentabilidade da instituição. “Somos comprometidos com o impacto positivo nas regiões onde atuamos e queremos ser protagonistas no desenvolvimento sustentável em cada uma delas. Para isso, conhecer e minimizar o impacto das nossas operações e atividades é fundamental. Pela primeira vez, apuramos informações sobre todas as cooperativas e entidades do sistema, o que permitiu neutralizar os impactos levantados em nível nacional”, afirma.

Brugman explica que o Sicredi segue em aprimoramento constante das medições, a fim de tornar a operação mais ecoeficiente. “A partir dos resultados colhidos, com base em nossa política de sustentabilidade, estimulamos internamente a realização de ações que visam eficiência energética e geração de menos resíduos, entre outras iniciativas, para cuidar do meio ambiente e contribuir com o combate à mudança climática”.

ODS como norteadores

A estratégia de sustentabilidade do Sicredi foi reforçada em 2020, quando a instituição aderiu ao Pacto Global da ONU, uma iniciativa do órgão para estimular empresas a adotarem políticas de responsabilidade social corporativa e de desenvolvimento sustentável por meio da adesão a dez princípios relacionados a direitos humanos, trabalho, meio ambiente e corrupção.

Ao aderir ao pacto, o Sicredi passou a se comprometer em adotar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) como norteadores de seu desenvolvimento. Os ODS foram definidos pela ONU para engajar organizações de todo o mundo em prol de metas como a erradicação da pobreza, o combate à mudança do clima e a preservação dos recursos naturais.

“Como participantes do Pacto Global, assumimos a responsabilidade de contribuir para o alcance da agenda mundial de sustentabilidade. Tendo os ODS como norteadores e seguindo os princípios do cooperativismo, queremos ampliar o nosso impacto positivo em relação ao meio ambiente, a exemplo do que já fazemos do ponto de vista econômico e social, levando benefício às comunidades”, afirma Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar, da Central Sicredi PR/SP/RJ e membro do Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu na sigla em inglês).

Saiba mais sobre sustentabilidade no Sicredi acessando a página www.sicredi.com.br/site/sobre-nos/sustentabilidade.

Assessoria de Comunicação