PROJETO GINGA: Integrantes do grupo participam de formação e batizado em Campo Grande

Os integrantes do Projeto Ginga Maracaju estiveram no último fim de  semana participando em Campo Grande  de evento de formação e batizado promovido pelo Projeto Vem Pra Roda Vem Brincar que é filiado ao Grupo Memória e tem na coordenação a instrutora Baixinha.

O evento constou de várias oficinas, além do ponto alto de todas as atividades que foram a graduação e a troca de corda realizadas com a presença do mestre Celso {Carvalho do Nascimento}, uma lenda viva da capoeira brasileira.

As atividades do sábado começaram com um aulão para os presentes e na sequência da programação palestra com Mestre Celso versando sobre a capoeira e a trajetória dessa arte no Brasil.

Celso é um dos mais antigos mestres de capoeira vivo e, hoje, nos altos dos seus 80 anos, a maior parte deles dedicada à capoeira, é considerado uma enciclopédia viva da arte marcial genuinamente brasileira.

Já na noite do sábado, aconteceu o batizado com várias apresentações e o resgate da História da Capoeira como a Puxada de Rede que era feita pelos escravos e a apresentação do Maculelê (dança) e, por fim. o batizado.

Um detalhe importante nas apresentações: foram utilizados materiais recicláveis ehouve uma preocupação com a preservação do meio ambiente, tanto que, na puxada de rede os alunos do projeto mostraram o desrespeito com os rios. Na encenação, ao invés de peixe retiraram muito lixo da água.  No maculelê, ao invés de paus, foram utilizados garrafas descartáveis.

Segundo a coordenadora do projeto, Baixinha, foi uma maneira de mostrar ao público presente, aos pais e amigos da capoeira, que além da arte, no projeto as crianças aprendem muito mais, inclusive a preservar o meio ambiente e o respeito à natureza. Baixinha frisou aos presentes que 90% da sustentação do projeto vem através de materiais reciclados obtidos em coletas e campanhas feitas pelos alunos.

O Mestre Noir Jesus Aranha, o popular Mestre Aranha, presidente do Grupo Memória, falou da importância desse momento. “É um momento único poder rever a família Memória, avaliar o crescimento técnico e ter a presença do Mestre Celso. É, sem dúvida, uma data para ficar na história do Grupo. Cada participante deve guardar esse momento para sempre registrar, pois, essa é a nossa raiz, nossa história e é a nossa Memória” disse Aranha.

O professor Luiz Fábio, o popular Maçaneta, coordenador do projeto Ginga Maracaju, afirmou que esses encontros “são importantes para criar laços cada vez mais fortes entre os praticantes de capoeira e membros do grupo e, principalmente, pela busca do conhecimento”.

Para participar do evento em Campo Grande, o projeto contou com o apoio da Prefeitura de Maracaju, através da Secretaria de Esportes e do Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais.