Prestigiada por ministra e governador, Coamo inaugura indústria e refinaria de óleo em Dourados

As novas indústria de óleo e refinaria de óleo de soja, construídas na margem da BR-163, entre Dourados e Caarapó, no Mato Grosso do Sul, foram inauguradas na segunda-feira passada, 25, em cerimônia que contou com a presença do presidente da Coamo, José Aroldo Galassini, da alta diretoria da Cooperativa, da ministra da Agricultura, Tereza Cristina Corrêa da Costa, do governador Reinaldo Azambuja, de lideranças e autoridades de Dourados e de todo o Estado.

A equipe da Rádio Cidade FM 104 transmitiu ao vivo, direto do local, a solenidade festiva em que o diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, ressaltou que as políticas desenvolvimentistas do Governo do Estado foram fundamentais para a instalação da fábrica em Dourados. “Encontramos todo o apoio do governador e dos secretários”, afirmou.

Durante a cerimônia, o diretor da Coamo relatou que foram investidos mais de R$ 780 milhões na planta industrial que tem capacidade para processamento de 3.000 toneladas/dia de soja, produção de farelo de soja e uma refinaria para 720 toneladas/dia de óleo de soja, equivalente a 15 milhões de sacas.

Com as esmagadoras de Dourados, a cooperativa soma agora 10 indústrias espalhadas pelo Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, ampliando a capacidade de processamento de soja para 8.000 toneladas/dia e a de refino para 1.440 toneladas/dia de óleo de soja refinado. Toda produção desses locais segue para o sudeste do Brasil e para o mercado europeu.

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina, representando o governo Jair Bolsonaro, disse que as unidades agregam valor à produção local e marcam a realização do sonho da industrialização de Mato Grosso do Sul “no momento em que o Brasil abre mercados”, o que dá oportunidades de expansão para exportação. “Os produtos de valor agregado em forma de farelo de soja ainda contribuem para o desenvolvimento das atividades da suinocultura, avicultura e também da bovinocultura”, destacou Tereza Cristina.

Para o governador Reinaldo Azambuja, a ativação das unidades industriais comprova que a “política estadual de trocar impostos por empregos tem dado certo”. “Coloca MS num patamar diferente da maioria dos estados brasileiros, somos um Estado que cumpre com obrigações, enfrenta desafios e tem economia diversa e pujante”, ressaltou.

Para Reinaldo Azambuja, o funcionamento do complexo industrial da Coamo menos de três anos depois do lançamento da pedra fundamental (2016) mostra ainda a confiança que Mato Grosso do Sul tem entre os empresários.

Segundo Reinaldo, o MS ocupa a quinta posição entre os estados mais competitivos do País, conforme levantamento do Centro de Liderança Pública (CLP), divulgado em outubro. Isso, além de ter a menor taxa de desocupação e desemprego do País, relatou o governador.

SOBRE AS INDÚSTRIAS – As novas unidades industriais da Coamo foram aprovadas pelos associados em Assembleia Geral Extraordinária, realizada em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná), em 23 de março de 2016, e em 06 dezembro do mesmo ano, foi lançada a pedra fundamental, com a presença de autoridades da Coamo, do município, deputados e do governador do Estado, Reinaldo Azambuja.

As obras foram iniciadas em 2017, em uma área construída de 92 mil metros quadrados. Os trabalhos de construção e montagem foram realizados por 1.600 colaboradores diretos e indiretos, integrantes de dezenas de empresas contratadas.

O presidente da Coamo José Aroldo Gallassini destacou que construção de novas unidades fabris atendeu a necessidade de prestar um melhor serviço ao associado e ao produtor rural em geral. E destacou a escolha da região de Dourados para instalação como estratégica. “O volume de soja recebido pela Coamo no Mato Grosso do Sul comporta perfeitamente a instalação de uma moderna indústria esmagadora de soja e de uma refinaria de óleo de soja em Dourados, justificando plenamente a redução de custo com o transporte do produto já industrializado ao invés de transportá-lo in natura para a industrialização em Campo Mourão ou em Paranaguá” explicou à época.

O governador do Estado e, também, cooperado da Coamo, Reinaldo Azambuja, elogia a visão e a iniciativa da diretoria da Coamo e destaca a importância da unidade industrial em Dourados. “A Coamo potencializou investimento no MS, isso é uma prova real de confiança e de cumplicidade nossa, para dar uma mais competividade à economia e diversificação da produção”, argumenta, lembrando ainda que, “a região de Dourados está com uma bela e moderna edificação, um cartão postal na entrada da cidade. Aplaudo a decisão da Coamo por este investimento e pelos excelentes resultados alcançados ano após ano”.

De acordo com a prefeita de Dourados, Délia Razuk, o empreendimento traz orgulho e expectativa de mais desenvolvimento, não só para o município como, também, para toda a região. “Estou muito feliz e orgulhosa. Vivemos um grande momento”, diz.

A prefeita lembra que a instalação da Coamo em Dourados movimenta vários segmentos da economia local, impulsionando o crescimento do município.

Ela citou que, antes mesmo da inauguração da indústria, registrou-se um aumento considerável no movimento na rede hoteleira, restaurantes, imobiliárias e postos de combustíveis. “Muitas pessoas vieram para cá trabalhar na instalação da Coamo e isso acabou agregando”, observa.

Ele também explica que a chegada da Coamo atrai para Dourados e região, agregados como centros de distribuição, empresas do ramo de transporte, de manutenção, de peças industriais, logística, entre tantas outras. “Agora mesmo, um restaurante e um posto de combustíveis estão sendo instalados na região da Coamo”, frisa.

Também participaram da solenidade que marcou o início das operações da indústria o vice-governador Murilo Zauith, que também é secretário estadual de Infraestrutura; o senador Nelsinho Trad, os secretários estaduais Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica), Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Roberto Hashioka (Administração) e Geraldo Resende (Saúde); a prefeita de Dourados, Délia Razuk, os deputados estaduais Barbosinha e Renato Câmara e o vice-prefeito de Maracaju, Joares Sanches (PSDB) que representou o prefeito Maurílio Azambuja (MDB), impossibilitado de se deslocar a Dourados devido compromisso assumido anteriormente em Maracaju.