Glândula Timo: A chave da imunidade e da energia vital

Você sabe que essa pequena glândula esquecida lá no meio do peito, entre os pulmões e a frente do coração, é uma das responsáveis pelo nosso sistema imunológico?

Pequenino e desconhecido de muita gente, ela tem uma responsabilidade enorme na formação do sistema imunológico, sendo que falhas em seu funcionamento elevam o risco de infecções e até de doenças autoimunes. Abaixo, você confere algumas informações sobre suas funções no organismo.

Quando somos crianças esta glândula é grande, e cresce quando estamos contentes, tranquilos, felizes e alegres, mas encolhe quando nos estressamos e fica minúscula quando adoecemos. Sim, ela reage de acordo com os nossos sentimentos e, além disso, é sensível a imagens, cores, luzes, cheiros, sabores, gestos, toques, sons, e principalmente a palavras e pensamentos negativos.

Durante décadas, os médicos pensaram que o timo atrofiava e parava de trabalhar na adolescência, pois só o conheciam através das autópsias e sempre o encontravam bem pequeno e encolhido. Então, bombardearam com raio X, timos de pessoas adultas, perfeitamente saudáveis, por acharem que o seu “tamanho anormal” poderia causar problemas”.

Seu nome em grego, thymos, significa energia vital. O timo é uma glândula que participa da regulação da defesa imunológica do organismo. É considerado um órgão linfoide primário, localiza-se no tórax, entre os pulmões, atrás do osso esterno e à frente do coração, e muda de tamanho conforme as fases da vida.

Do nascimento até a adolescência, o timo pode atingir até 40 gramas e a partir daí, começa a diminuir de tamanho até a fase idosa. Porém, mesmo com a sua diminuição, as funções não são perdidas.

FUNÇÃO

A principal função do timo é a maturação dos linfócitos T. Os linfócitos imaturos são produzidos na médula óssea e migram até o timo, onde amadurecem e transformam-se em linfócitos T. Do timo, eles entram na corrente sanguínea e chegam aos tecidos linfoides.

O timo só libera os linfócitos T após reconhecer que estes não irão reagir contra proteínas ou antígenos naturais do organismo. Assim, ele realiza uma seleção dos linfócitos T a serem liberados na corrente sanguínea.

Essa função do timo garante o correto funcionamento do sistema imunológico. Quando existem poucos linfócitos T no organismo aumentam as chances de se adquirir doenças.

O timo também é responsável pela produção do hormônio timosina, que estimula a maturação dos linfócitos T.

EXERCÍCIOS PARA MANUTENÇÃO DA GLÂNDULA TIMO

  1. O primeiro exercício, básico e fundamental, é massagear a glândula timo. Você consegue fazer essa massagem ao dar batidinhas leves, com as pontas dos dedos, sobre o esterno, no meio do peito. Faça este exercício todas as manhãs, e à noite, respirando suavemente, em situação de relaxamento. Você também se ajudará se, ao fazer o exercício, mentalizar uma imagem luminosa agradável, em rosa e verde, que são as cores de alimentação do chacra cardíaco.
  2. Os movimentos de alongamento dos membros superiores, do pescoço, da nuca, dos ombros, também ajudam muito na saúde da glândula timo, mais uma razão para praticá-los rotineiramente. Leia aqui sobre outros exercícios para a glândula timo.
  3. A pronúncia da vogal “A” muito lentamente e aberta, com consciência, trabalha a amorosidade no ser e faz vibrar a Glândula e a região ao redor, como o Chakra laríngeo, transformando todas as estagnações que neles houver. É o Cardíaco sendo acionado e elevando-se ao seu Chakra superior, o Chakra do verbo.
Com carinho, 

Dafne da Veiga Ribas

Ariana, mãe, nutricionista, espiritualista, diretora comercial na Rádio Cidade Maracaju e Jornal Maracaju Hoje e administradora do perfil @viver.em.harmonia no Instagram