Fundação MS elege nova diretoria para o triênio 2020-2023

Luciano Muzzi, eleito presidente da Fundação MS para o triênio 2020-2023; foto: Divulgação

Foi eleito recentemente, a nova diretoria da Fundação MS que vai comandar a entidade entre 2020 e 2023. Luciano Muzzi Mendes foi reconduzido ao cargo e permanece à frente da instituição pelos próximos três anos.

Para o conselho administrativo foi eleito Juliano Schmaedecke como vice-presidente e Daniel Franco Pereira como diretor financeiro.

Os produtores rurais Lucas da Rocha, Elvio Rodrigues, Luciano Pompilio, Krjin Wielemaken, e representantes das instituições mantenedoras, sendo Celso Ramos Regis e Sadi de Pauli pela OCB, Artêmio Olegário Júnior e Christiano Binz pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul) e, por fim, Maurício Saito e Luis Alberto Moraes Novaes representando a Famasul também constam entre os eleitos.

Luciano disse que a Fundação MS continua com seu papel de realizar pesquisas em todo o Estado, levando ao produtor rural informações rápidas e precisas.

“Continuaremos trabalhando com tecnologias no campo que possibilitem mais produtividade e lucratividade. Os produtores rurais têm acesso aos resultados por meio de palestras, dias de campo e apresentação de resultados de pesquisas, além do Portal do Associado. A velocidade na divulgação desses dados é primordial para o bom planejamento das atividades no campo”, destaca.

Como parte do conselho fiscal está Gabriella Azambuja, Aristides Ramos, Fabio Caminha, Ana Nery, Fernando Casali e Leôncio Brito Neto.

Enquanto o conselho técnico-administrativo é composto por pesquisadores da Fundação, produtores rurais, engenheiros agrônomos, e representantes das mantenedoras institucionais – Sistema Famasul, Aprosoja e OCB/MS, sendo eles Márcio Beukhof, Roberto Cottica, José Assir Lara Júnior, Gilberto Bernardi, Isadora Rodrigues, Bruno Schereen, Roberto Neto, Guilherme Asmus, Ademir Zimmer, João Dacrose, André Dobashi, Antônio Meireles (Tuca), José Tozzi Filho, Douglas Giti e André Bezerra.

Luiz Guilherme, com Tudo do MS – Maracaju Hoje