Como lidar com a dor da perda de um ente querido?

Peço licença para falar de um tema não muito agradável, mas entendo que seja muito importante: como lidar com a dor da perda de um ente querido.

Creio que este seja um dos ensinamentos mais dolorosos que a vida pode nos oferecer, porque é a única situação em que não temos o controle e o poder para decidir absolutamente nada.

  1. Abandone a negação e abrace a aceitação

Muitas vezes o nosso inconsciente procura buscar uma fuga da realidade dos fatos. Isso tem por objetivo nos afastar do impacto daquele mal súbito e irreparável que nos arrebata, e que até nos tira a noção do tempo e do espaço onde estamos.

No caso da perda de um ente querido, nossa aceitação não pode ser confundida. Não significa que aceitar é estar muito bem apesar do que ocorreu. Não significa aceitar o fato de que o nosso ente querido se foi para sempre. O aceitar, que estou dizendo, é no sentido de reconhecer essa nova realidade, e fazer de tudo que esteja ao nosso alcance para aprender a viver com ela.

Sempre digo que é impossível trabalhar qualquer questão pessoal na nossa vida, se não identificamos e não aceitamos o que está acontecendo conosco.

A grande verdade é que o luto é uma experiência muito pessoal e singular. Não há uma receita, uma regra específica a ser seguida. Cada um tem o seu tempo e deve mensurar o grau de sofrimento que está disposto a abraçar, porque a vida continua e precisamos seguir em frente.

  1. Trabalhe a raiva e a revolta

Muitas vezes a raiva é o sentimento mais imediato. Não se sinta com remorso por causa disto, pois é uma reação extremamente humana e comum, acredite. A raiva é um passo necessário dentro do processo de cura.

  1. Não se deixe dominar pela depressão

Em muitas situações o processo de depressão é inevitável por determinado período. Passado todo o desgaste do impacto da notícia e do velório, os sentimentos de vazio e dor começam a aflorar com muita intensidade.

É uma fase em que achamos que a dor e a tristeza irão durar para sempre. Isso por que, a perda é uma situação que mexe profundamente com os nossos sentimentos e nossas lembranças do passado.

Com o tempo, a dor e a saudade parecem só aumentar no nosso peito, mas tudo isto também faz parte do nosso processo de superação, e é importante compreender isto.

  1. Fale abertamente sobre sua perda e sua dor

Falar, desabafar, chorar, demonstrar saudade, externar sentimentos de dor e perda é muito importante para podermos amenizar o sofrimento. Não há motivos para ter vergonha de falar sobre isto! Colocar tudo isso para fora ajuda, sim, a aliviar as nossas emoções e tensões, e nos ajudam no entendimento e na aceitação. Busque seus melhores amigos e familiares e compartilhe tudo com eles. Certamente serão compreensíveis com você!

  1. Não se isole

Buscar a solidão neste momento não é uma atitude positiva. É importante termos alguns momentos de reclusão e reflexão, mas isolar-se pode ser uma bela isca para alimentar uma profunda depressão. Interagir com amigos e familiares é uma maneira de não dar espaço para longos pensamentos de tristeza.

  1. Evite decisões importantes ou grandes mudanças

Precisamos de um tempo para superar esta situação. Se perceber que o seu emocional ainda está muito abalado e não se sente preparado para algumas situações, e você precisa tomar decisões que não podem ser adiadas, consulte a opinião de amigos que tenha confiança e respeito. Ou ainda, dependendo do caso, busque aconselhamentos profissionais.

  1. Retome as rédeas da sua vida e do seu trabalho

Viver um período de luto é perfeitamente compreensível e razoável. Seja paciente e gentil com você mesmo neste período, mas tão logo se sinta um pouco melhor, retome suas atividades diárias e o seu trabalho. São eles que vão preencher os seus pensamentos e evitar que se afunde em tristeza.

Muitas pessoas durante este momento abraçam causas e projetos sociais que visam fazer uma diferença positiva na vida de outras pessoas, o que as tornam admiráveis.

  1. Se julgar necessário, procure ajuda profissional

Cada pessoa vive dentro de uma realidade e de um círculo de pessoas. Ninguém é igual a ninguém, e não existem regras específicas para isto. Se perceber que está tendo dificuldades de reagir e superar suas dores pessoais, não se sinta intimidado em buscar uma ajuda profissional.

Muitas vezes a perda de um ente querido pode envolver eventos e sentimentos mais profundos do seu passado, e um profissional competente poderá ajudá-lo a desvendar todas estas questões. O mais importante é não desistir de buscar uma solução, e lembrar que você merece ser feliz!

Em homenagem e respeito a memória de
Manuela Vinagre de Farias Marcondes

Dafne da Veiga Ribas

Ariana, mãe, nutricionista, espiritualista, diretora comercial na Rádio Cidade Maracaju e Jornal Maracaju Hoje e administradora do perfil @viver.em.harmonia no Instagram

Com informações Paulo de Campos